MOÇÃO DE APOIO PELO FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

Prefeitura edita novo decreto com regras mais rígidas de enfrentamento ao coronavírus
23 de junho de 2020
Educação começará a entrega de Kits de Alimentação Escolar
11 de julho de 2020
Exibir tudo

MOÇÃO DE APOIO

PELO FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

 

O Brasil é fortemente marcado pela mistura entre povos. Povos estes que vem das mais variadas partes do mundo e trazem consigo suas origens, suas culturas, suas religiões.
No entanto, observamos o enorme preconceito que existe contra as religiões de matriz africana, sobre as quais constatou-se nos últimos anos, grande avanço de atos violentos contra pessoas e também depredação e até mesmo destruição total de templos e terreiros.

Só no primeiro semestre de 2019, houve um aumento de 56% no número de denúncias de intolerância religiosa em comparação ao mesmo período do ano anterior. A maior parte dos relatos foi feita por praticantes de crenças como a Umbanda e o Candomblé.

Nosso município, INFELIZMENTE foi palco de uma atitude LAMENTÁVEL. Ao amanhecer da última quarta-feira (01/07), o Pai de Santo Jorge Kibanazambi se deparou com sua casa e terreiro com a fachada vandalizada, pixada com os termos “Deus é maior” e com uma Bíblia e uma garrafa com papéis lançados adentro de seu terreiro. Pai Jorge se manifestou por meio de sua rede social, apresentando e lamentando o ocorrido.

Nossa constituição prevê, em seu art 5º, a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias. Assegura ainda, a prestação de assistência religiosa e garante que ninguém pode ser privado de direitos por motivo de crença religiosa.

Desta forma, por acreditar em um Estado laico e livre, e por RESPEITAR TODAS AS FORMAS DE MANIFESTAÇÕES RELIGIOSAS, vimos a público manifestar apoio ao Pai Jorge e a todos que professam sua fé, seja ela qual for.

PELO FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

#Tamojunto!

 

MOÇÃO DE APOIO PELO FIM DA INTOLERÃNCIA RELIGIOSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *