Mandato propõem reunião com representantes do Movimento Negro de Colombo

Revisão da lei do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Colombo
13 de novembro de 2014
Somos jovens negros e negras. Somos vítimas da violência
24 de novembro de 2014
Exibir tudo

Aconteceu na manhã desta segunda-feira (17/11/2014), uma reunião com participantes e lideranças do Movimento Negro residentes em Colombo. Oobjetivo da reunião foi discutir a situação do município a respeito do assunto, para posteriormente, aproximar e conhecer mais todos aqueles de defendem a promoção da igualdade racial.


Estiveram presentes: o vereador Anderson Prego, Marici Seles – militante da Rede de Mulheres Negras e assessora do Mandato Popular Participativo, Waldir Nunes – coordenador da Regional Sul II da Pastoral Afro Brasileira, José Mário Custódio, José Aparecido Custódio, e Bruna Pereira Cardoso – também militantes da Pastoral Afro Brasileira da Paroquia Santa Teresinha de Lisieux.


Um dos assuntos discutidos foi a importância da retomada dos trabalhos do Departamento de Igualdade Racial aqui do município, haja vista a importância que se em construir projetos capazes de angariar recursos e desenvolver atividades que promovam a educação, o respeito às diferenças e a superação do racismo.


Outro tema muito importante, é o combate ao racismo institucional, que prejudica muito a aplicação da lei 10.639/03, a qual dispõe sobre o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana no ensino regular. Conforme afirmou o prof Waldir, “a aplicação da lei esbarra na falta de capacitação de boa parte da comunidade escolar”. Para Anderson Prego, “o racismo institucional é muito presente nas estruturas do Poder Público do município de Colombo, não vemos por exemplo, campanhas de promoção da saúde para doenças que atingem em maioria o povo negro, como é o caso da anemia falciforme”. 


Para Marici, “este encontro foi bastante produtivo, uma vez que o debate sobre promoção da igualdade racial e o fato de unir militantes fortalece e enriquece a luta de combate ao racismo, que na maioria das vezes, trata-se de um racismo simbólico e tido como normal”.
Como encaminhamento desta reunião, o Mandato Popular Participativo ficou encarregado de fazer um mapeamento da comunidade envolvida no resgate histórico e cultural e nas discussões em favor da promoção da igualdade racial e convidar a todos para uma reunião com essas pessoas, onde se somem forças e seja possível pensar um trabalho articulado, que promova e reivindique ações de combate ao racismo em nosso município.

17/11/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *