Posicionamento sobre o cancelamento da 54ª Festa da Uva e congelamento de investimentos

Vereador Anderson Prego toma posse para o segundo mandato
1 de janeiro de 2017
Anderson pede informações sobre medidas tomadas ao combate das enchentes na R. Gustavo Kabitschke.
9 de março de 2017
Exibir tudo

Como muitos devem ter acompanhado, na semana passada a prefeita de Colombo, Beti Pavin, anunciou o cancelamento da 54ª Festa da Uva.

Viemos já há muito tempo nos posicionando de forma contrária ao modelo de festa que acontece em nossa cidade, no entanto, entendemos que este evento tradicional e tão importante não deve ficar de fora do calendário municipal, haja vista o espaço de apresentações culturais, feira de produtos cultivados e produzidos aqui em nosso município e demais atrações que a Festa da Uva oferece.

Sempre defendemos uma festa que valorizasse mais nossa cultura local, com garantia de espaços para nossos diversos artistas, uma vez que Colombo é muito rica em vários segmentos culturais, como por exemplo, a presença da tradição italiana, com suas danças, vestimentas e culinária, existe também uma grande força na cultura do Hip Hop, bandas musicais dos mais variados estilos, e ainda, artistas com destaque internacional.

Nossa proposta sempre foi deixar de pagar valores exorbitantes para artistas famosos e valorizar nossa própria região. Desta forma, não seria necessário cobrar a bilheteria, o que com certeza atrairia grande número de público.

Não concordamos com esta medida de cancelamento da Festa da Uva, entendemos que muitos agricultores, comerciantes, artistas e demais interessados saem perdendo muito com isso, pois já vêm se programando há muito tempo para trabalhar na festa, chegando até mesmo a poder ter prejuízo devido a investimentos já feitos.

Diante deste fato lamentável, nos questionamos sobre algumas situações, são elas:

1- Sempre que fazíamos o questionamento sobre os altos valores gastos com a realização da Festa da Uva, nos era respondido que não eram gastos, mas sim, investimentos, haja vista que o evento atraía muitos visitantes e movimentava todo o comércio, não gerando despesas para os cofres públicos. Vemos neste último final de ano e ainda nesta temporada de férias, que os parques, os shoppings centers e o litoral paranaense estão sendo um sucesso de movimento e consumo. Então perguntamos, por que na 54ª Festa da Uva seria diferente, já que a mesma trás também um histórico de enorme público?

2-Percebemos um discurso da nossa gestão municipal quase que cotidiano e desde há muito tempo sobre “a crise que assola o país…”, para justificar a falta de investimento, falta de melhorias nas condições de trabalho e negação de direitos aos servidores municipais. Se isto é verdade, por que então já se foi gasto recurso com a realização do concurso para escolha da Rainha e princesas da Festa da Uva, realização de Concurso para escolha das bandas locais que fariam as apresentações no 2º palco de shows, gasto tempo e mão de obra para realização de editais de licitação para serviços que aconteceriam na festa, e ainda gasto dinheiro com empresas de propaganda, inserção de chamadas nas principais emissoras de rádio da região?

3-Juntamente com o cancelamento da festa, a prefeita anunciou que reduziria seu próprio salário, do vice-prefeito e de seu secretariado. Nesta ação de marketing próprio, não anunciou que pretendia, alguns dias depois, emitir um decreto que congela por 120 dias os gastos públicos. Este congelamento está presente no Decreto 007/2017, publicado no Diário Oficial dos Municípios em 13 de janeiro e significa que por 120 dias, não haverá revisões nos salários dos servidores municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *